GEOBIOLOGIA

Versão integral do artigo publicado na Revista Saúde Actual

(Revista de Saúde Natural, Ciência e Ambiente) nº 50.

A relação simbiótica Terra – Vida

A arte de harmonizar ambientes

O enorme avanço científico, tecnológico e electrónico que se tem vindo a realizar nas últimas décadas do Século XX, na Mecânica, Química, Medicina, Física Quântica, Geobiologia e noutros domínios da ciência, permitem-nos vivenciar uma vasta expansão eclética e holística de conhecimentos e de aparelhos que se repercutem no conforto e na melhoria da nossa qualidade de vida. Contudo, na realidade tudo tem o seu reverso: antenas de telecomunicações, transformadores ou linhas de alta tensão; sistemas de ar-condicionado; telemóveis; iPhones; televisores; computadores; relógios digitais; secadores de cabelo; máquinas de lavar roupa e secar; ferros de engomar; microondas; fornos eléctricos; torradeiras… imprescindíveis na nossa vida quotidiana, afectam-nos com a sua poluição eléctrica, produzindo ondas electromagnéticas e radiações que geram stress, perturbações e desequilíbrios nos nossos espaços e nos nossos sistemas biológicos.

Vivemos na biosfera terrestre mergulhados neste mar de energias produzidas pelo homem, não sem permanecermos insensíveis no nosso dia-a-dia, também aos efeitos e influências das radiações naturais. Vivemos neste planeta Terra, a nossa Grande Casa, num determinado local, em formação e evolução simbiótica, numa envolvente permanência de infra e sobre radiações telúricas, campos electromagnéticos, veios de água, falhas arquitectónicas geológicas, redes Hartmann e Curry (assim chamadas pela descoberta destes dois médicos em estudos sobre os seus pacientes) pontos estrela, chaminés cosmo-telúricas, e influência das energias da Lua, Sol, Planetas e Astros que provêem do Cosmos. Esta energia cósmica é o princípio vital universal e imanente, que interpenetra e nutre todo o Universo.

De que radiações falamos destas energias? – Falamos das radiações que são a emissão de ondas electromagnéticas, partículas atómicas ou raios procedentes das explosões solares e estelares que são, contudo, filtradas e atenuadas pela atmosfera terrestre, de modo que só chegam ao nível do mar uns 20mR/ano. E por sua vez, das radiações telúricas que emanam do subsolo terrestre compostas de radiação alfa, beta, gama, feixe de neutrões, e ainda ondas de forma em fase eléctrica, que variam segundo a composição do subsolo, da presença de falhas da crosta terrestre e dos veios de água subterrâneos. Deste modo, por exemplo, num solo calcário temos 20 a 40 mR/ano, enquanto num solo granítico 150mR/ano (Micro-Rades).

Por muito que ajamos não nos podemos esquecer que somos antenas em equilíbrio entre as forças telúricas e as forças cósmicas e, considerarmos a importância vital da saúde e do bem-estar imprescindíveis na nossa vivência espiritual-civilizacional.

É a Geobiologia, cuja terminologia deriva do grego geo-terra, bio-vida e logia-ciência, a ciência que estuda a interacção entre a Terra e a Vida, que investiga e se centra na relação entre as radiações terrestres e as radiações cósmicas e as suas influências nos processos vitais de todos os seres vivos: homens; animais; minerais e vegetais que habitam o planeta Terra.

É sabido que os Antigos tinham conhecimento da vitalidade e da qualidade vibratória dos locais na Terra. Temos legados históricos de conhecimentos Celtas, Egípcios, Romanos, Gregos, Incas, Ameríndios, Indianos…

Mas, é a partir dos anos 30, do Século XX, que médicos e cientistas começaram a comprovar a relação das energias telúricas e geomagnéticas com a ocorrência de patologias. Referenciamos o médico alemão Ernst Hartmann (1915-1992), que nas suas investigações certifica-se de que toda a superfície do planeta Terra tem linhas de força como as de um sistema nervoso, Globalgitternetz. A Terra está coberta por uma rede global de ondas que são produzidas por uma radiação terrestre que provém do interior do planeta, e que se ordenam em forma de rede ao atravessar as camadas da crosta terrestre. Esta rede penetra em todos os lugares abertos ou fechados. Em Seminários e Conferências, Hartmann divulgava as suas experiências e os resultados científicos da sua pesquisa. E, alertava sempre sobre os sérios perigos para a saúde, pelo facto de se dormir ou trabalhar sobre uma linha de radiação terrestre Hartmann. Eu sei que nem parece científico, dizia o médico, mas se dormir ou trabalhar sobre uma linha Hartmann, nem todas as vitaminas do mundo o poderão ajudar! Uma vez fui a casa de um homem e aconselhei-o a não dormir em cima de uma dessas linhas. Pensou que eu era um todo. Mais tarde… E o Dr. Hartman fala das consequências…

Hartmann legou-nos a seguinte mensagem: O Bem-Estar dos seres humanos na sua constituição corpo, alma e espírito está relacionado com um ambiente saudável.

Manfred Curry (1899-1953), médico alemão, cientista, físico e Director do Instituto Riedereau de Medicina Bioclimática, descobriu uma rede energética à qual deu o seu nome, linhas Curry. A rede Curry tem maior influência na psique humana e está relacionada com o campo emocional energético da Terra. Há cientistas que afirmam, que esta rede forma-se como consequência do efeito dínamo dipolar e toroidal, que se estabelece devido à rotação constante do planeta Terra, e a criação de fortes campos energéticos que se devem à fricção e resistência entre a crosta terrestre e o núcleo ou magma da Terra.

Em 1952, Schumann, físico alemão, verifica que a Terra é cercada por um poderoso campo electromagnético que possui uma ressonância, a Ressonância de Schumann (nome dado, devido ao seu descobridor). Nesta ressonância que se forma entre o solo e a inosfera nós estamos envolvidos e possuímos a mesma natureza bioeléctrica. Por isso, devemos acompanhar o biorritmo da Terra Gaia, devemos acompanhar o seu pulsar responsável pelo equilíbrio da vida. É sabido que a partir dos anos 80-90 do Século XX, a frequência passou de 7,83 hertz/minuto para 11 e 13 hertz/minuto. Digamos, que o coração da Terra acelerou, e em vez de 24 horas, temos 16 horas. A Terra procura um equilíbrio para passar a outra Dimensão mais elevada, tal como nós seres humanos – somos terra que sente, pensa e venera. Lembramos os astronautas que quando fora da ressonância adoecem e têm que ser submetidos a um simulador Schumann para recuperarem a saúde e o equilíbrio. Nós precisamos unirmo-nos à Terra, sintonizarmo-nos, harmonizarmo-nos, a fim de conjuntamente evoluirmos e expandirmos o Universo.

Em 1922, o Engenheiro alemão, Guido Bassler, efectuou um registo de radiações e de predisposição das pessoas a distintos tipos de doenças, publicando as afecções por geopatias. Diz-nos o Engenheiro que, sob a influência das radiações, as células despolarizam-se, e ao perderem o seu ritmo harmónico desprogramam-se (o ADN é afectado) em relação ao modelo original de saúde, contudo, uma ligeira influência pode ser tolerada.

O médico sueco, Westergren, realizou em 5 000 colheitas de sangue um estudo estatístico comprovando que a velocidade de sedimentação do sangue é maior sobre as linhas Hartmann e nos cruzamentos Hartmann.

Kätler Bacler, austríaca, Professora de Matemática, provou ao Instituto Pedagógico de Salsburg, que 95% dos alunos chamados “lentos na aprendizagem” tinham as suas camas e/ou as suas carteiras na escola sobre cruzamentos geopatogénicos ou sobre veios de água, singularidades.

Esta Professora refere no seu trabalho dez sintomas indicadores da permanência em zonas alteradas.

A Kätler Bacler deve-se o profícuo trabalho de investigação efectuado nas escolas do seu país.

No Diário Oficial de las Comunidades Europeas, L.199/59, de 30.7.1999, podemos ler o seguinte: RECOMENDACIÓN DEL CONSEJO de 12 de julio de 1999, relativa a la exposición del público en general a campo electromagnéticos (O Hz a 300 GHz) (1999/519/CE), El CONSEJO DE LA UNIÓN EUROPEA. (4) es absolutamente necesaria la protección de los ciudadanos de la Comunidad contra los efectos nocivos para la salud que se sabe pueden resultar de la exposición a campos electromagnéticos. […] VI. Con el fin de mejorar los conocimientos que se tienen acerca de los efectos sobre la salud de los campos electromagnéticos, los Estados miembros deberían promover y revisar la investigación pertinente sobre campos electromagnéticos y salud humana en el contexto de sus programas de investigación nacionales, teniendo en cuenta las recomendaciones comunitarias e internacionales en materia de investigación y los esfuerzos realizados en este ámbito basándose en el mayor número posible de fuentes. (Hecho en Bruselas, el 12 de julio de 1999).

Quanto à afecção dos seres dos reinos animal e vegetal, podemos dividi-los em dois grupos: os sensíveis às singularidades (não gostam e dão-se mal: cães; cavalos; gerânio…); e os atraídos pelas singularidades (os que gostam e se dão bem: gatos; formigas; sabugueiro…).

A Geobiologia que tem bases na Física Quântica, porquanto analisa os locais e os seres vivos quanto à vitalidade, à qualidade vibratória, favorecendo o conhecimento das radiações benéficas e das radiações nocivas, as causas que as originam, e os fenómenos geológicos com elas relacionados é, por conseguinte, denominada a ciência do Bem-Estar. Como estudo sistemático da interacção do homem com o meio que o rodeia, a Geobiologia toma um lugar charneira no conhecimento científico, face ao acompanhamento do progresso social, tecnológico e electrónico, contribuindo para o bem-estar, a harmonia, e o equilíbrio da relação simbiótica Vida/Terra.

É através da Geobiologia que harmonizamos os espaços em que vivemos e trabalhamos.

Em que consiste harmonizar um espaço? A harmonização consiste numa técnica baseada nesta ciência, cuja prática é realizada pelo Geobiólogo. Este, no processo de um trabalho de diagnóstico e de harmonização detecta as energias Telúricas e as energias Cósmicas e as energias provenientes da actividade humana; analisa a interacção de todas estas energias; identifica as que são nocivas para o ser humano, animais e vegetais no seu meio ambiente. O Geobiólogo tem como objectivo, mediante instrumentos apropriados, prevenir, minimizar e até mesmo neutralizar os efeitos nefastos de energias e dos pontos geopatogénicos (nocivos para a saúde).

Através de um estudo efectuado na sua casa de habitação (escritório, café, restaurante, cabeleireiro, loja, consultório, gabinete de terapia, sala de aula, sala de congressos, jardim, terreno para construção civil, local para animais, automóvel) pelo Geobiólogo, sabe se na sua habitação, as camas nos quartos de dormir se encontram devidamente posicionadas, a fim de haver um bom descanso durante a noite, se as mesas de trabalho e de refeição não estão em pontos geopatogénicos, de modo a haver maior poder de concentração, menos desgaste intelectual e maiores benefícios para a saúde e conforto habitacional.

Um espaço harmonizado proporciona bem-estar e saúde, ou seja, permite a quem nele habita viver em harmonia e equilíbrio, consigo mesmo, com a Terra e o Cosmos.

  • Drª Ana Pina Santorini
  • Licenciada e pós-graduada em Filosofia
  • Professora de Filosofia
  • Radiestesista
  • Geobióloga
  • Contacto: Tm 91 229 25 27
  • Email: anasantorini39@gmail.com


Versão integral do artigo publicado na Revista Saúde Actual
(Revista de Saúde Natural, Ciência e Ambiente) nº 50.

RECEBA AS NOSSAS INFORMAÇÕES

Todas as novidades do nosso site, subscreva a nossa newsletter

*Campo Obrigatorio